EPM? Pra quê?! Usa o TFS!

image

Sei que o título deste post pode causar alguma polêmica – mas acredite, é por uma boa causa Smile.

Frequentemente nossos clientes de ALM perguntam sobre o tal do “EPM” (quando, na verdade, eles querem mesmo é falar do Microsoft Project Server). Aliás, engraçado como EPM acabou virando sinônimo de Project Server….

Mas voltando ao assunto: esses clientes às vezes já têm o EPM Project Server em suas empresas. Noutras vezes, eles querem instalar o tal Project Server. E no contexto de um projeto de ALM, a pergunta obviamente é:

Dá para integrar o TFS com o Project Server?

Para não dizerem que fugi da pergunta, vamos primeiro à resposta direta: sim, dá para integrar o TFS ao Project Server.

Mas sempre que um cliente me pergunta sobre Project Server, inevitavelmente me sinto na obrigação de responder de uma forma um “pouquinho” diferente:

Sim, dá para integrar. Mas pra quê você quer o Project Server?!

Para quem conhece o Project Server, a resposta pode parecer óbvia. Mas a maioria das pessoas não o conhece – ou pior, acha que conhece. O fato é que, no contexto de projetos de ALM, na maioria das vezes o Project Server é opcional. Aliás, em mais de uma ocasião recomendei ao cliente que não o adotasse. Por que? Vamos falar um pouco sobre isso. Mas primeiro…

O que é o Project Server?

Project Server 2013De acordo com a Microsoft, o Project Server é “uma solução flexível para gestão de portfólio de projetos (PPM, Project Portfolio Management) e o trabalho do dia-a-dia.”

Uma outra forma de descrever o Project Server – que talvez seja a imagem mais comum que as pessoas têm dele – é a de um “centralizador” de projetos, que permite que todos os planos de projetos sejam armazenados num repositório central, podendo ser compartilhados entre os membros de um time de projeto, sem precisar ficar distribuindo arquivos .mpp para lá e para cá, o que invariavelmente acaba levando a várias versões diferentes e dessincronizadas dos planos de projeto. Essa definição, contudo, é uma simplificação extrema. Não acredita? Então dê uma olhada na impressionante lista de recursos do Project Server:

  • Gestão de Trabalho
  • Gestão de Demanda
  • Análise e Seleção de Portfólio
  • Gestão de Recursos
  • Gestão de Cronograma
  • Gestão Financeira
  • Gestão de Tempo e Tarefas
  • Gestão de Problemas e Riscos
  • Relatórios (Business Intelligence para projetos)
  • Gestão de Programas
  • Governança

Definitivamente o Project Server é uma excelente ferramenta para gestão de projetos e portfólios de projetos: da construção de uma hidrelétrica à reforma de um estádio, do planejamento de um evento ao acompanhamento da execução de um plano diretor plurianual, empresas de diversos portes o usam no dia-a-dia para gerenciar os mais diversos tipos de projetos.

Mas quando falamos de ALM estamos falando de projetos de software. E em muitos casos o Project Server pode ser mais do que os times precisam. Já vi casos em que ele chega a atrapalhar.

“Quer dizer que projetos de software não precisam de gestão de projetos?!”, alguns podem perguntar indignados.

“Já sei, você é mais um desses hippies de agilidade que acham que cronograma é besteira, né?”, outros podem emendar.

Mas não, não é o caso. Não quero acabar com seu cronograma. Você pode continuar gerenciando seus projetos usando seu Microsoft Project Professional como está acostumado desde sempre.

“Está louco, Igor? Você está dizendo para usar o Project Professional sem o Project Server? Mas aí vou continuar com o problema de ter arquivos .mpp indo para lá e para cá. Como é que isso pode ser algo bom? Prefiro investir no Project Server!”

Calma, pequeno gafanhoto Smile. Não estou recomendando que você abra mão de um repositório central para seus planos de projeto. Mas quero mostrar uma alternativa mais leve e barata: o TFS.

TFS como repositório de projetos

Acredite, isso que vou falar agora não é novidade nenhuma. Esse recurso existe desde a primeira versão do TFS. Ainda assim, surpreendentemente muitas pessoas desconhecem o fato que podemos conectar o Project Professional diretamente ao TFS, sem depender do Project Server.

Plug-in do TFS no Project Professional

Quando você instala o Microsoft Project e o Team Explorer (o cliente do TFS) no mesmo computador, um plug-in para o TFS é adicionado automaticamente a seu Project. Com ele é possível escolher um Team Project (1) e vincular seu plano de projeto a um servidor TFS (2). Dessa forma, cada uma das tarefas – as linhas em seu plano de projeto – podem ser itens de trabalho (work items) no TFS (3).

O grande barato dessa integração é que os valores lançados no Project – tais como predecessores e sucessores, duração e outros – são persistidos nos itens de trabalho do TFS.

Assim, gerentes de projeto podem montar seus cronogramas no Project Professional e publicá-los para o TFS…

Botão Publish para enviar o plano de projeto ao TFS

Desenvolvedores, por sua vez, atualizam suas tarefas diretamente no Visual Studio (ou no Team Web Access do TFS)…

Item de trabalho com lançamento de horas pelo desenvolvedor

Depois, basta clicar no Refresh para ter o cronograma atualizado com as alterações que os desenvolvedores fizeram em seus itens de trabalho!

Cronograma atualizado com as informações lançadas no TFS

 

Conclusão

A integração do TFS com o Project é um tópico que merece aprofundamento. Por isso, pode aguardar que virão outros posts sobre esse assunto.

Agora, antes que eu sofra um “linchamento virtual” dos fãs do Project Server, preciso deixar algo bem claro: o TFS não se propõe a substituí-lo. Há uma enormidade de recursos no Project Server que não estão presentes no TFS. Entretanto, se você queria usar o Project Server apenas como um repositório central para seus projetos de desenvolvimento de software, sem se preocupar com funcionalidades como Gestão de Recursos e Gestão Financeira (exclusivos do Project Server) então o TFS pode ser uma excelente alternativa para suas demandas de gestão de projetos!

 

Um abraço,
Igor

 

Igor Abade

 

One thought on “EPM? Pra quê?! Usa o TFS!

Deixe seu comentário!

%d blogueiros gostam disto: