“Sou parceiro Microsoft, por isso não gasto mais com licença de software”

image
400

Já perdi a conta de quantas vezes visitei clientes interessados em adotar o TFS que diziam coisas do tipo “sou parceiro Microsoft, então já tenho licença de Visual Studio para todo mundo”.

Isso acontece porque um dos benefícios de se tornar um Parceiro Microsoft é receber licenças de software gratuitas para uso em sua empresa durante o período de duração da parceria.

O que essas empresas ignoram (intencional ou acidentalmente; não faz diferença) é que “licenças gratuitas” não são a mesma coisa de “licenças de livre-uso”. Com isso, podem acabar irregulares e se expondo a uma ação anti-pirataria sem saber.

Continue lendo ““Sou parceiro Microsoft, por isso não gasto mais com licença de software””

Entenda o licenciamento do Visual Studio Online

Convenhamos: licenciamento nunca é algo fácil de se entender. Quando envolve uma nova oferta então – como é o caso do Visual Studio Online – as coisas só complicam.

Por outro lado, não dá para fugir dessa discussão. Para garantirmos que nossa empresa está devidamente licenciada (e não está desperdiçando dinheiro pagando mais que o necessário), precisamos entender exatamente como contratar e pagar pelos serviços do Visual Studio Online!

Continue lendo “Entenda o licenciamento do Visual Studio Online”

Não é permitido instalar software MSDN na nuvem

 

Com o uso cada vez maior da “nuvem” (seja Azure, Amazon ou qualquer outro provedor), surge a necessidade de estender nossos ambientes de desenvolvimento e testes para lá. Ou seja, pode ser que eu queira:

  1. Montar algumas máquinas virtuais no Azure para instalar uma farm de SharePoint e assim ter um ambiente para testar minhas customizações; ou
  2. Criar uma VM na Amazon com o SQL Server Analysis Services e o SQL Server Reporting Services para testar os novos relatórios que estão sendo criados; ou mesmo
  3. Instalar o Visual Studio Ultimate Load Test Agent em várias VMs para criar um teste de carga distribuído.

Normalmente, a preocupação seria “como eu licencio esses softwares que quero pôr na nuvem?” E aí vem um dos maiores benefícios oferecidos pela Assinatura MSDN.

Quando você compra um Visual Studio com uma Assinatura MSDN, recebe o direito de utilizar softwares Microsoft (como Windows, SQL Server, SharePoint e outros) para fins de desenvolvimento e testes. Você pode instalar esse software em quantos computadores você quiser, desde que:

  1. Seja apenas para desenvolvimento e testes. Não pode ser usado em ambientes de produção, nem para o trabalho do dia-a-dia que não esteja ligado com desenvolvimento de aplicações; e
  2. Apenas pessoas com licenças MSDN acessem esse ambiente. Ou seja, você pode montar uma máquina virtual e instalar nela uma versão do seu site. Outras pessoas podem acessar essa máquina virtual, desde que elas também tenham assinaturas MSDN (*).

O problema (e a origem da minha surpresa) é que não é possível instalar softwares MSDN em cloud providers.

Devo confessar que isso é novidade para mim. E para evitar que você, sua empresa ou seus clientes fiquem com problemas de licenciamento por acidente, vamos esclarecer algumas coisas. A primeira é que a fonte definitiva do que pode – ou não pode – ser feito com suas licenças de Visual Studio, suas Assinaturas MSDN e afins, é o Visual Studio 2012 and MSDN Whitepaper. Extraído direto da página 12, vem o seguinte trecho:

SNAGHTML11e7dfbd
285

Portanto, fique atento nisso. Use no Azure (ou na Amazon) apenas softwares licenciados especificamente para esse fim e não use softwares MSDN lá.

Um abraço,
    Igor